Mercados emergentes: a busca por aposentadorias sustentáveis em um mundo que envelhece

Os mercados emergentes anteriormente jovens do mundo estão envelhecendo rapidamente. Os trabalhadores nesses mercados estão se aposentando sem ativos suficientes para cobrir suas necessidades previdenciárias. Regiões como a América Latina enfrentam uma lacuna entre os fundos previdenciários disponíveis e a necessidade de aposentadoria de suas populações trabalhadoras: a lacuna de poupança previdenciária é de cerca de US$ 514 bilhões ao ano ou US$ 50.000 por trabalhador, em média, de acordo com o novo relatório sigma "Emerging markets: the drive for sustainable retirements in an ageing world".

Os indivíduos nos mercados emergentes precisarão cada vez mais fazer seus próprios arranjos de recursos para a aposentadoria. As reformas previdenciárias estão transferindo para os indivíduos a responsabilidade de economizar para a aposentadoria e a gestão dos riscos ao longo da vida, como mortalidade, morbidade, longevidade e desempenho do investimento. Esses riscos restringem a capacidade do indivíduo de sustentar sua aposentadoria, uma vez que um período de ausência do trabalho por motivo de doença, assistência à família ou mesmo morte influenciaria as economias da família. Esse desafio é agudo nos mercados emergentes, em que os recursos pessoais tendem a ser menores e as redes de segurança social mais fracas. Entretanto, facilitar aposentadorias sustentáveis pode abrir inúmeras oportunidades para fortalecimento da resiliência das famílias e sociedades. Recentemente, a Swiss Re Brasil fez uma parceria com a Brasilprev, especialista e líder de mercado em previdência privada, para oferecer capacidade de resseguros para um novo produto, que combina previdência privada e seguro de vida, e ajuda a fechar a lacuna de proteção de mortalidade no país.

O Brasil tem a maior lacuna de poupança previdenciária por ano, de US$ 180 bilhões, um reflexo de sua grande população trabalhadora com força de trabalho relativamente mais jovem e idade de aposentadoria tardia. O país tem a maior adequação previdenciária, com fundos estimados capazes de fornecer cerca de 50% da renda necessária. Dado os diferentes níveis de desenvolvimento econômico, o déficit reforça a necessidade iminente de ação nos mercados emergentes. Tais mercados precisam de um sistema previdenciário sustentável e integrado, formado por uma forte parceria entre o estado, o setor privado e os indivíduos. Nos mercados emergentes, o seguro precisa ser acessível, barato e idealmente flexível para lidar com os riscos variáveis às famílias ao longo de seus ciclos de vida.

É possível fazer mais para mitigar tais riscos em mercados emergentes e seguradoras podem desempenhar um papel vital na proteção contra eles para garantir o futuro financeiro e uma renda estável na aposentadoria.

Consulte aqui a o comunicado enviado à imprensa em português.

Tags

Obtenha a publicação