Um mergulho no mundo dos seguros para corais: concebendo uma nova forma de seguros para a proteção de barreiras de coral, economias e nosso planeta

Uma nova forma de seguros para proteger barreiras de coral foi anunciada durante a Cúpula Mundial dos Oceanos de 2018 no México. A Swiss Re orgulha-se da sua participação no desenvolvimento deste novo produto, que terá por fim não somente a preservação e rápida restauração de recifes danificados por furacões massivos, mas também o suporte à resiliência econômica da região. No mais, este produto tem o potencial de criar um mercado evolutivo para a própria indústria de seguros.

O Recife Mesoamericano é a maior barreira de corais do hemisfério ocidental, que abriga alguns dos mais ricos exemplares de recifes de coral, mangues e fauna marinha do mundo. O recife protege a Riviera Maya, o centro turístico mais importante do México, que acolhe mais de 10 milhões de turistas por ano, gerando uma renda anual de 10 bilhões de dólares.

A organização "The Nature Conservancy" e o governo de Quintana Roo no México anunciaram recentemente a criação do "Coastal Zone Management Trust", um fundo fiduciário para a preservação da costa caribenha. O fundo também financiará o que virá a ser a primeira apólice de seguros paramétrica, que terá por fim assegurar os recifes de coral e a areia das praias contra o impacto de furacões.

Fundo fiduciário para financiamento de prêmios

As dotações para o fundo e os prêmios de seguros serão coletadas através de taxas de turismo e outras fontes governamentais. O fundo terá por objetivo oferecer um leque de benefícios voltados a reforçar a resiliência econômica da região, encorajando tanto a preservação quanto a restauração permanente do recife, criando um mercado evolutivo para a indústria de seguros. Potencialmente, este modelo multilateral poderia ser reutilizado em outras regiões e ecossistemas.

As barreiras de coral são elementos essenciais à proteção costal. Recifes de coral saudáveis podem reduzir em 26% as perdas econômicas causadas por furacões e tempestades. No entanto, dados estatísticos mostram que, desde 1980, 80% da camada de corais vivos na costa caribenha mexicana foram devastados ou degradados devido a doenças, branqueamento, redução de herbívoros ou crescimento descontrolado de algas.

Apoio à resiliência do ecossistema marinho

No mais, o fator imediato mais importante que tem causado a redução da estrutura dos recifes são os furacões. Os recifes chegam a perder entre 20-60% de sua camada de corais vivos depois de um furacão de categoria 4 ou 5.

A organização “The Nature Conservancy”, a qual iniciou e dirigiu a iniciativa para assegurar os recifes, acredita que este fundo fiduciário, bem como a abordagem de seguros-para-a-natureza, são soluções únicas face aos desafios mais urgentes à que se confrontam os ecossistemas marinhos, não só no México mas em todo o mundo. O Recife Mesoamericano ajuda a proteger residentes, turistas e negócios contra tempestades e a elevação do nível do mar. A barreira de recifes abriga um ecossistema variado, oferecendo enormes benefícios econômicos ao centro turístico mais importante do México.

Martin Parker, Presidente do departamento “Global Partnerships” (Parcerias Globais) da Swiss Re, diz: “Ao combinar recursos públicos e privados em um fundo fiduciário para financiar prêmios de seguros, podemos ajudar governos em regiões vulneráveis a planejar com antecedência, e de forma consequente, a proteção de recursos naturais importantes, como os recifes de corais, que têm importância vital tanto para a economia como para o planeta. Em ajudando os países afetados a acelerar seu restabelecimento após um desastre natural, este tipo de seguros inovador também ajudará a atenuar o impacto deste a nível local e nacional. Presenciamos a criação de um novo tipo de seguro paramétrico, que possibilita um desembolso rápido de verbas, com vasta aplicação no mercado. Acreditamos que possa se tornar uma ferramenta muito eficaz, que ajudará países a melhor proteger seus oceanos, e alcançar uma resiliência climática mais rapidamente. ”