Chile, Colômbia, Perú e México se unem para proteger suas economias contra riscos de terremotos: O Banco Mundial faz emissão sem precedentes de obrigações soberanas dedicadas a catástrofes naturais

O Chile, a Colômbia, o Perú e o México são nações vulneráveis à ocorrência de terremotos. Somente nos últimos anos, estes países foram abalados de forma devastadora, tanto em termos de perdas de vida como de propriedades.

O mais recente, dentre uma série de terremotos de grande magnitude que já se abateram sobre a América Latina, ocorreu na Cidade do México em setembro de 2017, causando a morte de mais de 450 pessoas e perdas econômicas de cerca de 12 bilhões de dólares americanos, segundo estimativas preliminares levantadas pelo estudo sigma compilado pelo Swiss Re Institute.

A fim de aliviar este peso dos orçamentos governamentais, e por fim, do bolso do contribuinte, o Banco Mundial fez uma emissão, sem precedentes, de obrigações soberanas dedicadas a remediar catástrofes naturais. O instrumento oferece cobertura para estes quatro países integrantes da iniciativa regional "Aliança do Pacífico". A Swiss Re orgulha-se de ter assistido na estruturação e comercialização deste instrumento. Estas obrigações paramétricas com valor nocional de 1.36 bilhão de dólares americanos são dedicadas à cobertura contra riscos de terremoto. Este instrumento foi emitido através de um mecanismo de crédito global do Banco Mundial dia 7 de fevereiro de 2018. Ele deverá ajudar a acelerar o processo de recuperação dos países membros da Aliança do Pacífico, protegendo seu desenvolvimento econômico, no caso de um terremoto de grande magnitude.

Adotando uma perspectiva de longo prazo em situações imprevisíveis

Falar em seguros e resseguros, trata-se essencialmente de adotar uma perspectiva de longo prazo na gestão e quantificação de riscos inerentes a situações imprevisíveis. Agindo de forma conjunta, os governos destes quatro países demonstram uma liderança conjunta na gestão sistemática de um risco comum que ameaça o desenvolvimento econômico de seus países. Recentemente, países membros da Aliança do Pacífico foram abalados por terremotos de grande magnitude em 2010 no Chile, em 2007 no Perú e em 2017 no México.

Criada em 2011, a Aliança do Pacífico é uma iniciativa político-econômica entre estes quatro países. Com uma população conjunta de 216 milhões de habitantes, o bloco é responsável por 39% do PIB latino-americano e caribenho. Os quatro países reforçaram sua aliança econômica com esta transação. A natureza flexível da cobertura paramétrica permitiu a cada país uma customização do seu grau de cobertura, levando em conta também o nível de exposição e estratégia geral de financiamento de riscos contra catástrofes de cada país.

Uma liderança forte em defesa do desenvolvimento econômico

O instrumento foi emitido pelo Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento (International Bank for Reconstruction and Development), que faz parte do Banco Mundial. A Swiss Re Capital Markets foi co-mandatada para liderar o consórcio envolvido na estruturação e subscrição dos títulos. "Em trabalhando juntos na gestão do risco financeiro ligado a terremotos, os líderes do Chile, Colômbia, Perú e México assumiram um compromisso importante face a seus povos, em apoio ao desenvolvimento econômico de longo prazo. Foi para nós um privilégio poder tomar parte nesta operação emblemática.", disse Martin Parker, o Presidente de Global Partnerships da Swiss Re. O histórico de colaboração da Swiss Re com o Banco Mundial conta também com outros instrumentos inovadores. No âmbito da comercialização de títulos dedicados a remediar catástrofes, a Swiss Re também colaborou com o Banco Mundial na comercialização do mecanismo de financiamento de emergências pandêmicas (Pandemic Emergency Financing Facility), lançado em 2017.